Mercado Financeiro

5 passos para aumentar a efetividade da sua gestão de cobrança

A gestão de cobranças é uma importante aliada para a estratégia de crescimento das empresas.

 

São inúmeros os fatores que podem impactar na saúde empresarial das organizações. Um dos mais importantes e que deve ser sempre monitorado bem de perto é a questão da inadimplência dos seus clientes. 

 

Quando crítica, essa situação pode levar as empresas ao desequilíbrio de caixa, algo que acaba acarretando em uma série de outros problemas. Para evitar esse cenário, o melhor caminho é desenvolver uma boa gestão de cobranças, o assunto do nosso conteúdo de hoje. Confira os temas que serão abordados:

 

  • O que é um gestor de cobranças e o que faz?;
  • Como funciona o setor de cobrança de uma empresa?;
  • Diferenças entre gestão de risco de crédito e cobrança;
  • A importância de uma gestão de cobranças bem feita;
  • Dicas para fazer uma melhor gestão de cobrança na sua empresa;
  • Tecnologias que aprimoram a gestão de cobrança das empresas;
  • O open banking será seu parceiro na hora de fazer a gestão de cobranças.

 

Boa leitura!

 

O que é um gestor de cobranças e o que faz?

 

Toda empresa precisa lidar diariamente com um grande volume de recebíveis, o que acaba gerando uma demanda que necessita de constante gerenciamento. 

 

Uma das partes envolvidas nesse processo é a gestão de cobranças, setor responsável por monitorar a situação de pagadores e tomada de decisões a partir de casos de inadimplência.

 

O objetivo principal do processo de cobrança é gerar autonomia e controle quanto ao cenário econômico de uma empresa. Como trata-se de um setor que garante que dívidas sejam pagas, acaba contribuindo diretamente para a manutenção do fluxo de caixa dos negócios.

 

Como?

 

Por meio da identificação, abordagem e uma mãozinha da automação de análise de dados. Vejamos mais sobre isso nos tópicos a seguir!

 

Como funciona o setor de cobrança de uma empresa?

 

Para estruturar um método de cobrança eficaz, primeiro é preciso estabelecer um fluxo para as cobranças pendentes. A partir daí, é desenvolvida toda a cadeia de etapas que serão realizadas uma vez que uma fatura não é paga.

 

Ou seja, esse processo entra em ação a partir do vencimento de um recebível. Se uma fatura vence no dia 15, qual será a ação tomada pela empresa no dia seguinte? O sistema pode, por exemplo, notificar o devedor por e-mail com a finalidade de “lembrá-lo” da pendência.

 

Após uma bateria de e-mails enviados esporadicamente, a empresa poderá entrar em contato direto com esse cliente. Nessa conversa podem ser apresentadas diferentes opções para o pagamento dessa dívida, sempre tomando bastante cuidado com a abordagem.

 

Em geral, as equipes de um setor de cobranças são treinadas para compreender a situação de cada um de seus clientes e utilizam técnicas de comunicação na hora de apresentar soluções para a quitação de eventuais dívidas – o cenário ideal é fazer com o que o cliente pague e que continue fazendo negócios com a empresa.

 

Diferenças entre gestão de crédito, cobrança e risco

 

Gestão de crédito – Trata-se da difusão de uma cultura de gerenciamento de informações dos consumidores com o objetivo de compreender o perfil, o histórico e particularidades dos consumidores em busca de apresentar as melhores soluções de crédito para esses futuros clientes.

 

Gestão de cobranças – Como comentado acima, trata-se do setor que monitora a situação de inadimplentes e oferece opções para que dívidas sejam pagas, aumentando o controle do fluxo de caixa de uma empresa.

 

Risco – De forma prática, o risco de crédito trata da probabilidade de um cliente não honrar com suas dívidas uma vez que adquiriu uma solução financeira junto a uma instituição. A gestão de risco, portanto, monitora o perfil de eventuais clientes e auxilia na redução da inadimplência, pois busca prever o comportamento dos clientes.

 

5 dicas para fazer uma melhor gestão de cobrança na sua empresa

 

  1. Organize – Faça um mapeamento e desenvolva sistemas eficientes para o dia a dia do seu setor financeiro. Uma vez organizado esse braço da empresa, fica muito mais fácil para que a equipe que realiza as cobranças as faça de maneira mais eficaz.

 

  1. Lembre – Assim como recebemos avisos sobre o vencimento de nossas faturas dias antes da data, é possível implantar o mesmo sistema em sua empresa. Como muitas inadimplências ocorrem por meio do genuíno esquecimento dos pagadores, vale a pena lembrá-los com antecedência de suas pendências.

 

  1. Renegocie – A técnica conhecida como “personalização da cobrança”, bastante utilizada por grandes instituições financeiras, busca compreender o momento de cada cliente para oferecer a melhor solução para que ele fique em dia com sua empresa. 

 

Dessa forma, cada usuário pode agir a partir de um gatilho mental diferente como o desconto em uma quitação à vista ou o parcelamento sem juros. Entenda o perfil e o comportamento do seu cliente para estimulá-lo da melhor maneira possível!

 

  1. Facilite – Da mesma forma que um usuário gosta de ter opções na hora de realizar compras, ele também se sentirá mais à vontade para ficar em dia com a sua empresa se ela oferecer diversas formas de pagamento como boleto, crédito, débito, Pix, etc. 

 

  1. Estabeleça – Além de se preparar para as diversas situações de seus clientes, é importante desenvolver uma política de metas para a sua equipe. Dessa forma, fica mais fácil estabelecer critérios para análises de desempenho e maior controle desse setor no futuro.

 

O open banking será seu parceiro na hora de fazer a gestão de cobranças

 

A utilização de tecnologia tem provocado grandes saltos na qualidade da performance dos setores financeiros das empresas. 

 

Ferramentas de análise de crédito, capazes de identificar o risco proporcionado por clientes em segundos, cobradoras virtuais, responsáveis por desenvolver automaticamente ações a partir de situações de inadimplência e análises de indicadores de  chamada, ideais para compreender o desempenho do setor com base em números são alguns dos exemplos de avanços só na área de cobranças.

 

Todas essas soluções, como são integráveis aos sistemas das empresas, podem e devem se beneficiar da democratização promovida pelo open banking, iniciativa do Banco Central que visa aumentar a transparência entre os players do mercado financeiro e com os consumidores que adquirem os produtos dessas instituições.

 

Com a chegada dessa revolução do sistema financeiro, um imensurável volume de dados será disponibilizado para os participantes da iniciativa que precisarão se adequar para obter o melhor retorno com base nessas informações e a partir daí desenvolver soluções personalizadas para cada um dos seus clientes.

 

A Quanto é a sua porta de entrada nessa nova era do sistema financeiro e oferece soluções completas para que sua empresa aproveite o melhor que o open banking tem a oferecer. 


Clique aqui e saiba como podemos ajudar o seu negócio a se preparar para essa revolução!