Open Banking

Conheça os impactos do Open Banking na sua empresa

Na fase 2 do Open Banking, prevista para ter início em 13 de agosto de 2021, os clientes poderão receber ofertas de produtos e serviços de diversas instituições financeiras. Como você já deve saber, isso acabará com a exclusividade do banco do correntista de fazer ofertas como taxas de juros mais baixas para concessão de crédito, dando às outras instituições a mesma oportunidade. Mas por que isso impactará a sua empresa?


Antes de responder, vale entender um pouco melhor o que está por trás do Open Banking. Afinal, hoje, todos os nossos dados financeiros ficam restritos aos bancos que temos conta, como histórico de pagamentos, crédito, extrato, entre outros. Com o sistema financeiro aberto, no entanto, todos os bancos passam a ter as mesmas informações, sem a necessidade de nos cadastrarmos em nenhum outro banco a não ser aquele com o qual já temos relacionamento.

 

"Todo aquele histórico financeiro que você criou com o seu banco, você consegue compartilhar com outras instituições financeiras. Um dos maiores exemplos é quando você faz um novo cartão de crédito que te oferece um limite mais baixo do que o do seu primeiro banco. Com o Open Banking, isso se torna mais assertivo", explicou Gustavo Bresler, gerente de estratégia da Quanto, em entrevista para o portal CNN Brasil

 

Com a segunda fase, segundo Bresler, o acesso ao crédito será facilitado — e, em um futuro próximo, as taxas de juros podem ser reduzidas por conta dele. "Quando outras instituições têm acesso às suas finanças e de forma confiável, isso será ofertado de forma justa. Hoje as empresas consideram o grupo ao qual você se adequa. Com o Open Banking, isso se torna mais individual. À medida que o crédito fica mais justo, ele fica mais barato para os bons pagadores", diz. 

 

Assim, o impacto para as empresas pode e deve ser muito positivo. Afinal, com mais crédito circulando entre pessoas físicas e jurídicas, maiores são as chances de novos negócios. E isso é só o início, pois acesso a crédito será apenas o primeiro grande impacto do Open Banking de muitos outros que ainda estão por vir. 

 

Impactos do Open Banking além do crédito

 

Você já parou para pensar que a maneira como as pessoas pegam empréstimo, investem ou movimentam dinheiro não mudou muito nas últimas décadas? Faz tempo que o mercado financeiro não passa por mudanças realmente significativas. No entanto, as coisas estão mudando. As tecnologias open source e a adoção de dados e inteligência artificial estão transformando fundamentalmente a maneira como interagimos com o dinheiro.

 

Com isso, o sistema financeiro aberto, cujas regras forçam os bancos (apenas com o consentimento dos usuários) a compartilhar dados de clientes com os concorrentes, será o catalisador que mudará o cenário descrito acima. E mais do que crédito, o Open Banking deverá promover uma aceleração na inovação de produtos e serviços, bem como proporcionar o surgimento de novos modelos de negócios. 

 

Trata-se de uma mudança de paradigma para os bancos. O Open Banking permitirá a criação de plataformas para transações e serviços bancários que sejam mais flexíveis e rápidos do que o que temos disponível hoje. E por conta das APIs, fintechs e outras startups financeiras também poderão impulsionar a inovação e oferecer aos consumidores mais opções de produtos e serviços a preços mais baixos.

 

Mas, principalmente, falar sobre o sistema financeiro aberto é falar sobre dados. O Open Banking deixa ainda mais claro que, hoje, o ativo mais importante para uma instituição de serviços financeiros não é mais o capital, e sim os dados. Ele abre o acesso aos dados do cliente para desenvolvedores terceirizados, nivelando o campo de atuação em um setor que está consistentemente entre os mais baixos quando o assunto é capacidade de inovação.