Open Finance

Qual a diferença entre Open Banking e Open Finance?

O projeto do Banco Central (BC) conhecido como open banking agora se chama open finance. A notícia foi dada pelo presidente do BC, Roberto Campos Neto, em uma transmissão ao vivo ao lado do empresário Abílio Diniz. A nomenclatura mudou porque, na prática, o Brasil tem um projeto bem mais abrangente de como o compartilhamento de dados vai impactar uma mudança estrutural no mercado financeiro.

 

Open finance é uma mudança estrutural no mercado financeiro. O open banking, como sugere o nome, se restringe ao compartilhamento de dados e informações relacionadas a serviços bancários tradicionais, como transferências de dinheiro e extrato, por exemplo. Já o open finance vai além e engloba em seu escopo também serviços como previdência e seguros.

 

A bastante elogiada iniciativa entrará em vigor a partir de 1 de fevereiro de 2021 e será dividida em 4 etapas que serão descritas ao longo deste artigo. Confira!

 

O open banking no Brasil e no mundo

 

O open banking (ou open finance) dará aos consumidores o controle de suas próprias informações bancárias. Mas o que isso significa? Hoje só o(s) banco(s) nos quais você tem conta têm acesso a extratos, boletos e listas de favorecidos, e só eles podem afirmar com confiança que você paga suas contas em dia ou que tem um dinheirinho guardado. Se você busca uma linha de crédito mais barata ou um financiamento com juros mais baixos precisa passar por uma enorme burocracia, imprimindo comprovantes que atestam sua situação financeira. Com o open banking, basta você dar o seu consentimento para que essas informações sejam compartilhadas automaticamente e, assim, você tenha acesso a opções melhores e mais baratas de serviços financeiros.

 

A iniciativa, que é parte da agenda BC+, tem como objetivo descentralizar o setor financeiro e aumentar a competitividade entre bancos e fintechs ao facilitar a oferta de soluções melhores e mais personalizadas para os brasileiros.

 

Em outros países, o sistema já existe há alguns anos. O destaque vai para o Reino Unido, que desenvolveu uma única API (ou Application Programming Interface, uma espécie de plataforma que facilita que sistemas inteiros “conversem” uns com os outros) para todo o sistema financeiro, transformando para sempre a troca de informações entre as instituições.

 

Qual é a diferença entre open banking e Banco digital?

 

Apesar de ter "banking" no nome, o open banking está bem longe de ser um novo formato de banco digital. Como já falamos, trata-se de uma iniciativa colaborativa entre diversas instituições financeiras com o objetivo de descentralizar o mercado financeiro – hoje concentrado nas 5 maiores instituições bancárias.

 

O termo “banco digital”, por sua vez, é utilizado quando desejamos nos referir às instituições “nascidas” em um universo virtual. É o caso de fintechs e outras instituições financeiras que não possuem presença física - como agências bancárias - e que atuam de forma 100% on-line. 

 

Todos os bancos digitais fazem parte do open banking?

 

Não necessariamente. Para participar do open banking, as instituições financeiras devem disponibilizar suas APIs no sistema. É uma via de mão dupla: para acessar os dados de outras instituições, você precisa também liberar os que você tem. Na primeira fase do programa, apenas os bancos do segmento 1 e 2 deverão, de forma obrigatória, disponibilizar informações sobre produtos, canais de atendimento ligados a contas, poupanças, linhas de crédito, pagamentos e serviços. 

 

Instituições como bancos menores e fintechs só poderão participar da iniciativa caso também compartilhem suas APIs, mas eles não são obrigados a fazer isso, como o caso dos bancos dos segmentos 1 e 2. Mas, mesmo sem serem obrigados, fintechs e bancos digitais podem ter muitos benefícios ao conseguirem acesso a informações dos clientes para desenvolverem novas opções financeiras.

 

Quanto-Blog-Banners-01

 

Quais são os benefícios do open banking para os usuários?

 

Para usuários do sistema bancário brasileiro, o open banking trará inúmeras vantagens na hora de pesquisar por produtos financeiros que mais combinam com suas necessidades e que cabem no seu bolso. Na prática, as pessoas finalmente terão o controle sobre seus próprios dados bancários. Se hoje só os bancos onde você tem conta possuem detalhes sobre seu perfil de pagador, por exemplo, você pode decidir quem mais tem acesso a essas informações.

 

E o que isso significa?

 

  • Com a chegada do open banking, fazer a portabilidade da conta corrente será muito mais fácil. Hoje, já um protocolo bastante burocrático para fechar uma conta e outro adicional para abrir uma nova. Com o open banking, você poderá se desvincular de uma instituição e levar consigo informações preciosas como boletos, extratos e lista de favorecidos para o novo banco.

 

  • Sem o preenchimento constante de intermináveis formulários, você ganhará tempo na hora de finalizar uma compra on-line. Bastará digitar a sua conta no banco para receber uma notificação em seu dispositivo que dará permissão para a compra, independente do site ou e-commerce que você está visitando.

 

  • Por meio de uma única conta, você poderá acessar diversas contas e serviços que possui, em bancos ou fintechs diferentes. Dessa forma, você não precisará de diversos aplicativos para fazer todas as suas transações bancárias.

 

  • Vamos repensar o conceito de "banco". Em uma única plataforma, você pode ter acesso a serviços de diferentes bancos e fintechs, o que garante que você terá o melhor produto para você, sem se preocupar com a burocracia de ter que abrir contas em diferentes lugares.

 

Como participar do open banking e ter acesso a todas essas vantagens?

 

A Quanto é a pioneira em open banking no Brasil e tem trabalhado desde 2016 para fazer dessa uma realidade. Nós criamos uma plataforma onde bancos, fintechs e empresas podem se conectar e competir para oferecer as melhores opções de serviços financeiros para os brasileiros. Tudo isso, é claro, levando a segurança em primeiro lugar e sempre com o consentimento dos usuários.

 

Quando você faz o cadastro na Quanto, você seleciona quais informações irá compartilhar com a sua instituição financeira de preferência, seja ela uma prestadora de serviços de crédito, um banco, ou uma empresa de tecnologia financeira. Isso permite que, na outra ponta, o cruzamento de dados seja utilizado por nossos parceiros como ferramenta para te oferecer melhores condições de pagamento e menores taxas. 


Saiba mais! Acesse a nossa Central de ajuda, tire suas dúvidas e inscreva-se na Quanto para fazer parte dessa revolução no sistema financeiro!