Open Banking

[eBook] Um ano de Open Banking no Brasil

Em fevereiro de 2021, foi dada a largada para o início da implementação do Open Banking no Brasil. De lá pra cá, muita coisa mudou. Talvez você não tenha percebido, porque foram mudanças sutis, porém com forte impacto no mercado financeiro. São os primeiros passos no que diz respeito aos efeitos para negócios e pessoas. Afinal, temos apenas um ano de Open Banking no Brasil e as transformações estão apenas começando.

 

Eis o porquê: vivemos agora um momento sem precedentes no que diz respeito aos modelos de coleta, análise, tratamento e, principalmente, compartilhamento de dados. E quando falamos de Open Banking, nos referimos especificamente a dados bancários. Informações que, agora, com o consentimento dos usuários, podem ser compartilhadas entre instituições financeiras. E o impacto disso é enorme, porque muda a essência da nossa experiência financeira até aqui. Muda a dinâmica do mercado. 

 

Esse primeiro ano do novo mercado financeiro, aberto, serviu para preparar o terreno. Foi, e ainda é, um processo sistêmico de implementação, conduzido por fases, e que agora, em 2022, deve certamente ser percebido.

 

Mas o que, de fato, mudou até aqui? E, principalmente, o que as empresas e os brasileiros ganham com o Open Banking? Por que o sistema financeiro aberto é vantajoso para o mercado? Como funciona? Qual é o valor disso e de onde o Brasil tirou essa ideia?

 

Para responder essas e outras tantas questões, fizemos um eBook completo. Nele, mostramos tudo o que já aconteceu até aqui, como todo o processo está sendo conduzido, quais são os desafios da implementação e o papel da Quanto como porta de entrada das empresas para o Open Banking. 

 

BAIXAR EBOOK

 

 

Executivos da Quanto apontam suas expectativas para 2022

 

"O Open Banking brasileiro é ambicioso e esse primeiro ano de inauguração deu provas disso. Um exemplo é o salto no número de chamadas de APIs bem-sucedidas de 2021: eram 12,7 milhões em novembro e passaram para 84,4 milhões em dezembro. São números promissores, mas ainda assim é em 2022 que a maior parte dos brasileiros conhecerá o Open Banking com algum serviço atrelado. Por isso, é hora de começar a pensar no que é possível fazer hoje com o que temos no mercado. É hora das empresas refletirem em como entregar o que os clientes querem e/ou precisam dentro desse novo mercado aberto em troca da confiança para que eles compartilhem seus dados."
Ricardo Taveira, fundador e CEO da Quanto

 

“Se 2021 foi o ano do lançamento do Open Banking, 2022 será o ano dos resultados a partir do uso do Open Banking. Daqui pra frente, veremos os usuários no poder dos seus dados, compartilhando-os com empresas que, a partir dessas ricas informações, consigam oferecer serviços cada vez mais personalizados. Assim, com o Open Banking, veremos o cliente final acessando produtos que realmente fazem sentido para ele, enquanto as instituições conseguirão tomar decisões muito mais precisas e que maximizam o valor de suas ofertas.”

Victoria Pacey Amato, Chief Business Officer da Quanto


"Mesmo no primeiro ano de Open Banking já foi possível entender o seu potencial de impacto. Ver empresas utilizando os dados para uma melhor tomada de decisão e, com isso, beneficiando o consumidor, é um grande indicador de como estamos vivenciando uma revolução no sistema financeiro. Assim, fico muito feliz por participar deste momento de virada e acredito que os próximos anos serão de muita mudança na dinâmica do ecossistema financeiro, criando muitas oportunidades e melhorias para a sociedade."
Ricardo Cabral, Chief Technical Officer da Quanto

 

BAIXAR EBOOK

 

 

Leia também:

Quanto é primeira fintech com as 8 certificações de segurança do Open Bankig
Digitalização de extrato: entenda os benefícios para quem concede crédito
Como mostrar para empresas e pessoas o valor do Open Banking