Open Finance

Especialistas da Quanto comentam sobre nova etapa do Open Finance

Confira o que o CEO da Quanto Ricardo Taveira e nosso gerente de estratégia, Gustavo Bresler, comentaram na mídia sobre a evolução do Open Banking e a nova etapa do Open Finance 

 

No dia 31 de maio, começou a segunda etapa da Fase 4 de implementação do Open Banking. Ela dá sequência a uma primeira etapa, iniciada em dezembro de 2021, que serviu justamente para que os bancos e instituições participantes se preparassem para agora. Mas o que muda?

O Open Banking abre de fato a possibilidade de compartilhamento de dados transacionais, como informações da conta corrente, renda, empréstimos e outros, além de informações sobre investimentos, seguros, câmbio, previdência e contas-salário. Assim, conforme nota do próprio Banco Central, essa segunda etapa oficializa o início do Open Finance no Brasil.

 

Especialistas da Quanto sobre nova etapa do Open Finance

 

Ricardo Taveira em matéria para a InfoMoney Ricardo Taveira, CEO da Quanto

“Antes era esperado apenas o compartilhamento padronizado de dados como lista de canais de atendimento, produtos, serviços e respectivas taxas e tarifas. Agora [nesta segunda etapa] é o começamos a construir as bases do que será o compartilhamento de dados como cadastro, transações e operações pelo usuário com as instituições (de seguro, investimento, câmbio, etc.) que optar”, explica Ricardo Taveira, CEO da Quanto, empresa de tecnologia para o Open Finance.

 

“São mais opções para compartilhamento de dados, a critério do usuário final. Esse é um novo passo para a população se tornar a real dona dos dados, que com isso poderá conseguir melhores ofertas de serviços financeiros e se beneficiar de mais competição entre as instituições. Mas é preciso também lembrar que estamos só no início da implementação, e o mercado precisa de um tempo para transformá-la em mudanças efetivas para o consumidor”, diz Taveira.

 

Ricardo Taveira no yahoo!finanças

 

De acordo com o Banco Central, cada cliente terá uma maior facilidade para comparar investimentos, seguros, previdências privadas e outros produtos financeiros entre as instituições. Como as empresas bancárias poderão ter acesso às mesmas informações, o cliente poderá escolher um empréstimo, por exemplo, a partir da melhor taxa, sem ficar preso ao seu banco tradicional por ter uma conta antiga nele.

 

“Mas é preciso também lembrar que estamos só no início da implementação, e o mercado precisa de um tempo para transformá-la em mudanças efetivas para o consumidor”, afirmou à CNN Ricardo Taveira, CEO e fundador da Quanto, plataforma de Open Banking.

Ricardo Taveira no Invest News

 

Ricardo Taveira, CEO e fundador da Quanto, empresa de tecnologia para Open Finance, explica que a nova etapa pode ajudar o consumidor a ter em mãos produtos mais adequados ao seu perfil. “A longo prazo, isso se reflete por exemplo em um investimento com uma taxa mais justa ou um seguro que condiz mais com a necessidade do consumidor”, acrescenta o especialista.

 

“A nova etapa demanda um tempo de implementação e adaptação do mercado para transformá-la em mudanças que impactem no dia a dia dos clientes. Mas é mais um passo rumo à ampliação do Open Finance brasileiro, o que coloca o país na vanguarda global do uso de dados para promover concorrência e inovação no sistema financeiro”, explica.

 

Ricardo Taveira e Gustavo Bresler, gerente de estratégia da Quanto, à CNN

 

“São mais opções para compartilhamento de dados, a critério do usuário final. Esse é um novo passo para o empoderamento da população como real dona dos dados, que com isso poderá conseguir melhores ofertas de serviços financeiros e se beneficiar de mais competição entre as instituições”, afirmou Ricardo Taveira, CEO e fundador da Quanto, plataforma de Open Banking.

 

“Esperamos que nesse novo ano haja uma adesão ainda maior de instituições financeiras no Open Banking, principalmente referente aos novos bancos, que estão entendendo as maneiras de incorporar os dados internamente e oferecer melhores produtos e serviços”, afirmou Gustavo Bresler, gerente de estratégia da Quanto.

 

Leia também:
Open Banking pelo mundo: confira iniciativas de outros países (parte 1)
Concessão de crédito: veja como o Open Finance pode contribuir
Glossário: siglas e termos do Open Finance