Mercado Financeiro

Digitalização de extrato: entenda os benefícios para quem concede crédito

Hoje, com tantas tecnologias à disposição e diversas outras que vemos surgir quase que diariamente para tornar a nossa vida mais fácil e dinâmica, como internet banking, Pix e o próprio Open Banking, falar sobre digitalização de extrato parece até algo não tão novo assim. No entanto, temos visto casos reais aqui na Quanto de como esse recurso pode otimizar consideravelmente os processos de análise e concessão de crédito.  

 

Para exemplificar o valor que a digitalização de extrato pode proporcionar às empresas que concedem crédito, eis um caso recente que vimos. Trata-se de uma empresa focada em crédito consignado, ou seja, especializada no atendimento a aposentados e pensionistas.

Qual foi o panorama que encontramos? O processo para solicitação de crédito nessa empresa era manual e, consequentemente, lento. Nele, o aposentado precisava ir até a agência de crédito e preencher um formulário com algumas questões básicas para uma primeira validação de perfil. Ali, pedia-se dados como o valor do crédito solicitado, renda do aposentado, data de pagamento e outras informações correlatas. 

 

Feito isso, o aposentado precisava apresentar o extrato físico da conta corrente. E é aí que o processo todo começava a ter alguns ruídos. Porque ou o aposentado não tinha internet banking, ou se tinha, não sabia a senha. Ou seja, para conseguir os extratos e dar andamento ao pedido de crédito, ele precisava sair dali e ir até uma agência bancária ou caixa eletrônico para conseguir essas informações e imprimir os extratos. 

 

Nesse processo, obviamente, eles já perdiam alguns clientes, seja porque o aposentado não conseguia os extratos ou simplesmente porque acabava não voltando mais para tentar pegar o empréstimo.

Porém, quando o aposentado conseguia os extratos, havia outro problema, principalmente quando o aposentado optava por enviar fotos dos extratos. As imagens nem sempre eram nítidas, havia fotos que cortavam trechos importantes dos documentos e, com isso, os atendentes dessa empresa tinham um retrabalho enorme e moroso para conseguir os tais extratos. 

 

Digitalização de extrato como solução para o problema

 

O nosso objetivo era fazer com que o aposentado chegasse na agência, preenchesse o formulário primário e, ali mesmo na agência, já conectasse a conta bancária dele através do fluxo da Quanto. Com isso, o onboarding dele continuava dali em diante. Porque, normalmente, o onboarding deles só continuava quando o aposentando conseguia enviar os extratos válidos. 

 

Com o fluxo da Quanto, o processo ganhou muito mais agilidade. Em questão de minutos, o aposentado consegue compartilhar o seu extrato bancário sem sair da loja.

 

Outra vantagem: identificamos que todo aquele retrabalho que os operadores tinham com o envio de extratos ilegíveis, que girava em torno de 80%, caiu para zero. Eles não tiveram nenhum retrabalho quando o aposentado conectava a conta com a Quanto. 

 

E o Open Banking nessa história de digitalização de extrato?

 

É preciso deixar claro que o que permite isso, no fim das contas, são os dados bancários. Mas para tanto, os usuários finais precisam entender o valor de compartilhar esses dados e se sentirem seguros com isso. No exemplo que citei, com aposentados, a aderência foi alta porque além dos clientes entenderem com clareza o valor que esse ato poderia gerar, havia os operadores ali para darem todo auxílio possível e fazerem o passo a passo do fluxo junto com os aposentados. 

 

Se conseguimos proporcionar uma mudança tão significativa em um negócio focado em clientes que, usualmente, não possuem tanta familiaridade com tecnologia, imagine o que poderíamos fazer por empresas cujos clientes já estão habituados aos avanços tecnológicos.


Artigo feito em colaboração com Thiago Yazbek, Onboarding & Sales Engineering Coordinator da Quanto.

 

Leia também: