Open Finance

Os impactos do Open Everything na inovação financeira

Como o compartilhamento de dados contribui para a construção de produtos e serviços personalizados 

 

A Quanto marcou presença no Conecta, evento realizado pela ABBC, em São Paulo. Veja abaixo os melhores insights do painel do “Open Finance ao Open Everything”:

 

Principais benefícios do Open Finance

 

Na visão de Ricardo Taveira, CEO e fundador da Quanto, há duas grandes vantagens no Open Finance. "A primeira é solucionar a assimetria de informação e possibilitar que as pessoas tenham acesso aos dados que estavam restritos em um único banco, geralmente a instituição na qual o usuário concentra a maior parte de suas movimentações financeiras. A segunda é a melhoria do canal, que se traduz em produtos aprimorados para cada perfil de cliente".

Para as empresas da era pós Open Finance, os benefícios também já são observados. "Há dados muito mais consistentes, mais estruturados e com um escopo muito maior", afirma Taveira. O executivo cita como exemplo o uso de informações de cadastro, que podem ser importadas de um banco para o outro sem que clientes tenham que preencher formulários, acelerando o processo de abertura de contas.

Já para as instituições que querem aderir ao Know Your Customer (KYC, em tradução livre conheça seu cliente), o Open Finance – futuramente, Open Everything – também poderá ajudar, pois todas as informações necessárias sobre o perfil de cada consumidor estão a poucos cliques - em um fluxo simples.

 

Como o Open Finance impacta o ecossistema de inovação

 

A fase 3 do Open Finance, que destaca a Iniciação de Pagamentos (ITP), possibilitará uma competição maior entre as empresas de tecnologia, mesmo aquelas que não possuem expertise em finanças. "Haverá liberdade de escolha do canal. As pessoas poderão visualizar e fazer uso de produtos em companhias de outros segmentos, possibilitando novos relacionamentos comerciais em um mercado anteriormente concentrado em pouquíssimas instituições", afirma o CEO.

Outro impacto positivo, de acordo com Taveira, são os benefícios incrementais. "Uma pessoa de marketing poderia analisar padrões de comportamento de consumo e ofertar produtos e serviços mais adequados, com maior chance de atender às necessidades e expectativas dos clientes".

As oportunidades de iniciação de pagamentos não param por aí. Há ainda inovações como o Pix Cobrança, Pix Agendado e Débito Automático Universal, que permitirão a independência de clientes dos canais das instituições, como o internet banking. Isso significa que, em breve, será possível autorizar o pagamento recorrente de um cartão de crédito do Banco A, por exemplo, na conta do Banco B, sem entrar nos aplicativos ou sites de cada um deles.

Efeitos do Open Finance no mundo

 

A implementação do Open Finance já é realidade em diversos países, como Estados Unidos, México e Canadá. E o que o planeta tem a ganhar com o compartilhamento de dados? Segundo um estudo da McKinsey, as inovações desse ecossistema trarão, em 2030, um impacto significativo para o PIB (Produto Interno Bruto) de 1 a 1,5% em locais como União Europeia, Reino Unido e Estados Unidos, podendo chegar a 5% na Índia.

A McKinsey estima ainda que o mercado inteiro será beneficiado, independentemente do tamanho das organizações. Pequenas e médias empresas terão um acesso mais amplo aos serviços financeiros, enquanto os usuários terão mais conveniência por meio de opções de produtos melhores.

Open Finance e Open Everything no futuro

 

Olhando para o futuro do ecossistema financeiro, o compartilhamento de dados possibilitará, também, a construção de produtos e a oferta de serviços inovadores. "Chegaremos em um ponto no qual funcionários do setor de crédito de um banco terão uma visão 360 do histórico financeiro dos clientes ou, até mesmo, um monitoramento em tempo real de movimentações importantes", conclui Taveira. 

 

É importante ressaltar que todas as inovações do Open Finance e, futuramente, do Open Everything, têm como princípio o consentimento dos usuários. "O processo é seguro, robusto e as informações serão utilizadas conforme autorizado pelos usuários durante o tempo definido", afirma Fábio Lins, Superintendente Executivo de Inovação do Banco Original. 

 

Para usuários, isso significa muito mais segurança e privacidade de suas próprias informações. Para as empresas, isso representa um desafio sem precedentes de comunicação e engajamento de clientes com o ecossistema financeiro do futuro.

E a sua empresa está preparada para essa realidade? A Quanto pode ajudar! 

 

Preencha o formulário e logo entraremos em contato.

 

 

Conteúdos apresentados durante o Conecta, evento organizado pela ABBC, realizado em novembro de 2022, em São Paulo.

 

Leia também: