Open Finance

O primeiro contato com o Open Finance

Para o fundador e CEO da Quanto, Ricardo Taveira, os brasileiros terão o primeiro contato com o Open Finance a partir de alguma solução de confirmação de dados cadastrais. Entenda. 

 

Quando falamos sobre Open Finance ou Open Banking, o principal caso de uso para exemplificar o valor desse novo fluxo de dados vem do setor de crédito. E, de fato, é inegável que a abertura do sistema bancário e financeiro contribuirá para a inclusão econômica de milhões de brasileiros que, hoje, por diversos motivos, ainda têm difícil acesso a ofertas de crédito.

 

Basta uma breve pesquisa para ver que há inúmeras notícias e artigos sobre isso. Tanto que, em um debate promovido no evento Fintech Digital World Trip 2022 com grandes referências do mercado, foi praticamente um consenso que o primeiro contato dos brasileiros com o Open Finance acontecerá por meio de algum produto de crédito. Praticamente consenso, porque o fundador e CEO da Quanto, Ricardo Taveira, pensa diferente.

Segundo ele, "a maior parte dos brasileiros terá o primeiro contato com o Open Banking a partir de algum caso de uso de identidade ou onboarding".


Primeiro contato com o Open Finance: confirmação cadastral

 

Para exemplificar sua teoria, Taveira citou os Estados Unidos. O país não possui um Open Finance regulado como no Brasil, mas ainda assim, conta com o maior mercado de Open Banking do mundo. "Mais de um terço das contas bancárias norte-americanas estão conectadas através de uma única plataforma de dados", resumiu. 

 

Por meio de acesso direto às informações a partir da iniciativa do próprio mercado (entenda mais sobre isso aqui), os dados de Open Banking nos Estados Unidos são usados, principalmente, para validação de identidade. Isso, de acordo com Ricardo Taveira, "não requer a sofisticação de uma análise de crédito ou a sagacidade de um produto para gerir finanças".

 

O CEO da Quanto concorda que um dos grandes impactos do Open Finance, sentido no bolso, virá do mercado de crédito, mas acredita que a grande maioria das pessoas no Brasil terá o primeiro contato com o Open Finance a partir de uma situação que exija algum tipo de confirmação cadastral. E não é para menos. Basta refletir sobre a quantidade de cadastros que precisamos fazer para tudo, seja comprar algo em um e-commerce, abrir uma nova conta em um App ou até mesmo para simplesmente passar pelas catracas de um edifício comercial.


Aproveite para ler também:
[podcast] Proteção de dados: o papel da LGPD no Open Finance
ITP - uma jornada de pagamento muito mais simples
Gestão de consentimento: como compartilhar dados com segurança